quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Ciclovia

O ano de 2010 está aí e junto com ele veio a minha listinha de objetivos para o novo ano. Voltar a boa forma é um desses objetivos. Como o desemprego ainda é uma realidade da minha vida, não tenho como pagar uma academia, então apelo para a ciclovia do Maracanã.



Há anos utilizo a ciclovia e os problemas são sempre os mesmos. Mas como andam me pedindo para ver o lado positivo das coisas, preciso mentalizar: " - Poxa vida, ainda bem que tem uma ciclovia pertinho da minha casa!". Tá bom, não é tão perto assim, mas é perto e quebra um galhão.

Bom, ciclovia pelo o pouco que eu entendo é o local adequado para o trânsito dos ciclistas. No entanto, como esta é uma via pública, pedestres também a utilizam para realizar seus exercícios e assim a ciclovia deveria ser compartilhada por todos na "santa paz de Deus!".

Quando vou ao Maracanã praticar meus exercícios, na maioria das vezes vou com a velha e boa bicicleta. Mas algumas vezes também vou caminhar. Enfim, acordo e vou da forma que acho melhor naquele dia. Também não tenho horário certo, tento ir todos os dias no horário que der. Só não vou quando está chovendo.

Andar de bicicleta na ciclovia para algumas pessoas pode até parecer crime. As pessoas te olham de cara feia e tudo! E olha que quem anda de bicleta sabe que é preciso ter cuidado com os pedestres, crianças, animais, carros, ônibus, com os outros ciclistas, etc. Todo cuidado é pouco!

Um dia antes do reveillon fui andar de bicicleta no Maracanã e como sempre vários turistas e várias pessoas relaxando, praticando exercícios, enfim, tudo normal, até que me deparei com um coitado de um Cocker Spaniel velhinho, com meio palmo de língua para fora, de coleira e solto na ciclovia. Perguntei alto de quem era o cachorro e ninguém respondeu. Perguntei de novo e um senhor veio do outro lado da ciclovia dizendo que era dele. Enfim, este senhor estava com outras senhoras conversando com uns turistas. Daí eu disse que não era legal deixar o coitado do cachorro largado na ciclovia. Como sempre a "errada" era eu! Expliquei ao alienado (só falando assim mesmo), que era perigoso para o cachorro, pois haviam muito ciclistas naquele dia e alguém sem querer, poderia causar um acidente com o bichinho. O dono do cachorro não gostou muito do que eu falei. Me mandou procurar alguma coisa para fazer e me mandou trabalhar. Poxa, bem que eu queria um emprego mesmo! Fiquei muito chateada com a ignorância, mas continuei a minha pedalada.

Não satisfeita com o meu fora, fui falar com os dois guadas municipais sobre o cachorro que estava solto, etc. O diálogo não foi um dos melhores. Fiquei totalmente decepcionada. Vou tentar escrever como foi. Legenda: GM (Guarda Municipal) e O (Otária - Renata Macedo).

GM: - A senhora vem aqui todos os dias?
O: - Sim, quase todos os dias, só não venho quando chove!
GM: - Bom, não sei se você percebeu, mas todos os cachorros aqui andam soltos na ciclovia.
O: - Hum, acho que não. Muitos andam na coleira e aqueles que andam soltos, geralmente correm ao lado do dono que está fazendo exercício.
GM: - Mas aqui é uma via pública, a gente não pode fazer nada. Os únicos cachorros que são obrigados a andar de coleira são os Pit Bull, Rottweiller e Dobermann. Qual o medo da senhora? Que o cachorro te morda?
O: - Não senhor, que alguém sem querer atropele o cachorro. Só isso, mas beleza então, foi bom saber disso. Agora eu posso andar mais tranquila! Se por acaso, sem querer alguém atropelar algum cachorro ...
GM 2: - Tudo bem, a gente vai falar com o dono do cachorro.

E assim continuei pedalando e observando as coisas. As pessoas atravessam a ciclovia sem olhar para os lados, crianças são deixadas soltas pela ciclovia, a própria ciclovia é usada de calçada para os pedestres, moradores de rua ficam pedindo dinheiro (lembrando que caminhar no maracanã para muitas pessoas é sinônimo de loucura, devidos aos assaltos), alguns ciclistas fazem aquilo de pista de corrida, a ciclovia está um lixo (refiro-me ao asfalto), os turistas não respeitam o espaço, muitas vezes a ciclovia está suja de lixo ou de comida que é deixada pelos moradores de rua, fora o cheiro de xixi que fica perto da pista de skate (que vive vazia, devido aos assaltos), etc.

Naquele dia o dono do cachorro ainda teve coragem de parar em um quiosque o estádio para tomar água de coco, amarrando o seu bichinho de estimação ao sol. Se não me engano, nesse dia o relógio estava marcando 40 graus. Pelo pouco que me lembro, nessa época do ano, quando o sol é muito quente, os donos de cachorros (assim como eu) devem evitar de levar seus bichinhos ás ruas no horário em que o sol está muito forte, pois pode machucar as patas dos seus bichinhos, ou seja, o asfalto muito quente pode queimar ou provocar bolhas e o vapor quente é insuportável (mormaço) - por isso o linguão de fora (sede e calor).

Ah! Por estar muito quente nesse dia, os Guardas Municipais não fizeram nada! Permaneceram de baixo da sombra da árvore. Inclusive o guarda que falou comigo esticou suas pernas em cima do volante do carrinho - enfim, para relaxar, não é mesmo?

Abaixo, um exemplo do carrinho da Guarda Municipal do RJ.




That's all folks!

6 comentários:

Lívia Ferreira disse...

Entao tah explicado: o mal da humanidade é o calor, que não deixa ning pensar direito, por isso no sul é tdo mundo educado!!
hahahah
feliz 2010!

disse...

Feliz 2010 Renata tudo de bom para Vc.Nossa qta ignorância e falta de educação tanto do guarda qto do dono do cachorro.Tem hora o melhor que temos a fazer é ficar calada.Atualizei o blog,estou de volta.Bjus

Lulu on the Sky® disse...

Adorei novo visu do seu blog.
Big Beijos

Cadinho RoCo disse...

A falta de consciência social é problema grave. E cacchorro, independente do porte, sem coleira em vias públicas é perigoso sim, esse guardinha municipal não sabe de nada, não tem noção de cidadania e trabalha em favor da esculhambação. Nós cidadãos precisamos de reagire sim, até porque esse guardinha municipal tem de saber que quem paga o salário dele somos nós, é servidor público e saber respeitar o povo que dá sustento ao seu emprego não é favor e sim orbigação. Parabéns por sua atitude e não desista, insista no seu agir de cidadã e exija respeito desses servidores de qualificação pra lá de duvidosa.
Cadinho RoCo

disse...

Passando para desejar que a tua semana seja otima e aproveito para avisar que atualizei o blog.Bjus

Daniel Savio disse...

Aff, tem gente sem noção mesmo, pois quem ama um animal, deveria cuidar dele e não expo-lo ao perigo.

Hah, mas será que é tão importante sabermos se a pessoa que damos amor é a certa, ou errada?

Pois se conseguimos amar sem pensar na retribuição, ai sim vai ser amor real e não algo que pde retribuição.

Contudo, é claro que temos de ter amor próprio, concorda?

Fique com Deus, menina Renata.
Um abraço.